é no brilho do seu olhar
que vejo a vida me cantar;
é no negro da sua pele
que o cheio me é eternidade;
é na inocência das tuas palavras
que me vejo em doces histórias;
é no profundo da sua alma
que me tens como sua dona;
é na formosura do seu corpo
que penso o tempo todo;
é em ti que encontro a água
para saciar a minha cede;
o calor que me incorpora
navega  no mar da minha memória
me transpirando de alegria;
é no sentido da tua vida
que depende minha presença;
é ouvindo o coração
que te tenho como paixão...
Cláudia Cassoma, ou Laudy como prefere ser chamada é uma Jovem Angolana apaixonada pela arte de escrever, expressando em sua poesia suas mais intimas ideias e inquietações sobre a realidade que a rodeia. Seu primeiro encontro com a arte de escrever debuta desde os seus 9 anos e foi amadurecendo com ela até "Amores que nunca vivi".