Ligação Corporal

Transporto o suco que preparei enquanto olhava nos teus olhos e sentia o arrepio, em forma de beijo. Dou-te a sentir o meu desejo, dou a cada um dos meus órgãos o trabalho de te pôr a sentir a mais perfeita sensação da minha imperfeita acção. Apago as luzes enquanto fecho os olhos, uso as mãos também. Uma no lado esquerdo do teu pescoço e outra na cintura, bem na avenida traseira. Ainda em pé, entreperno-me em ti , faço a ligação corporal, carrego minha pilha e preparo pra usá-la em ti.
Ainda na conexão  bocal, enquanto se transporta o suco salival, um outro é preparado na área mais abaixo.  Enfim tudo se encaixa, minha boca na tua, a pilha já perde carga em ti, ligação completa.
Já deitados num cavalgar acelerado, num calor intenso, trocando de tudo um tudo, desde líquidos à sólidos, dos sem cor aos brancos, transformando aquele suco outrora preparado, em culpado pelo nosso mais recente acto, onde se deram a envolver movimentos nunca antes vistos nos mais famosos filmes de acção.
Quando te sentaste, com o pé direito esticado e o esquerdo no meu pescoço, tinhas as mãos atrás de ti como meio de apoio,obrigando a pôr-me de joelhos, com as mãos nas tuas costas, evitando qualquer escape; Ah! eu gostei... senti em mim a outra parte, o fio vermelho ao azul, motivos pra explosões e curtos circuitos, mas aconteceu.
Depois de um tempo já não havia fôlego para nada, vi-mo-nos  a enterrarem-se as forças por minutos, mas deu pra sentir a satisfação também.
Lentamente a pilha descarregou-se, o corpo soluçou e num respirar profundo ouviu-se o doce suspiro, ahhhhh... E por aquelas bandas deram-se a repousar os nossos corpos vagabundos depois de uma viagem longa e cansativa em volta de um mundo onde os géneros têm o mesmo direito.
Desligou-se