está ainda meu navio
navegando em teu mar,
está ainda no que sorrio
palavras que te ouvi falar,
está ainda no que penso
teu corpo no meu amar
continua...
ainda vejo alguma lua
neste dia quente que vivo
sinto-me ainda na tua
ainda que conhecendo tal sonho
ainda és minha grua
mesmo que não mais carregues meu desejo
continua...
ainda sou aquela criança apaixonada
por um homem que de mim não quis nada 
está ainda no meu livro de loucuras
contigo preencher minhas noites loucas
continuas a ser quem me descontrola 
Cláudia Cassoma, ou Laudy como prefere ser chamada é uma Jovem Angolana apaixonada pela arte de escrever, expressando em sua poesia suas mais intimas ideias e inquietações sobre a realidade que a rodeia. Seu primeiro encontro com a arte de escrever debuta desde os seus 9 anos e foi amadurecendo com ela até "Amores que nunca vivi".