O coração cortou-se ao meio
de tão podre
já exala o horrível cheiro,
seus olhos
inundam a avenida corporal
criando um grande lamaçal,
sua tristeza parece incurável
o verter do sangue parece imparável,
O coração sangra lentamente
tornando a dor mais forte,
o coração chora sem parar
pelo amor lhe abandonar,
afoga-se na beira das tristezas
morre em suas fraquezas
em si não vê esperanças
nem tão pouco possibilidade pra mudanças
talvez cedo ou tarde o sangrar pare por si...






Cláudia Cassoma, ou Laudy como prefere ser chamada é uma Jovem Angolana apaixonada pela arte de escrever, expressando em sua poesia suas mais intimas ideias e inquietações sobre a realidade que a rodeia. Seu primeiro encontro com a arte de escrever debuta desde os seus 9 anos e foi amadurecendo com ela até "Amores que nunca vivi".