a mulher mais bela
és tu querida angolana,
negra ou morena
entre as demais és rara;

secretária ou quitandeira
pobre ou rica
cheirosa ou empoeirada
és a escolhida;

desenhada por Deus
aplaudida desde os céus
mulher angolana
jóia rara.

Cláudia Cassoma, ou Laudy como prefere ser chamada é uma Jovem Angolana apaixonada pela arte de escrever, expressando em sua poesia suas mais intimas ideias e inquietações sobre a realidade que a rodeia. Seu primeiro encontro com a arte de escrever debuta desde os seus 9 anos e foi amadurecendo com ela até "Amores que nunca vivi".