Puerícia

Foto retirada do Google

Foto retirada do Google

Não corri desnuda pelo monte de areia vermelha enfrente a nossa casa 

em minha cabeça havia sempre pelo menos uma trança 

assim foi minha infância;

                                                Não tive tudo em todo tempo 

                                                vezes houve que precisei esperar mais um pouco 

                                               não podia nem tentar quando nos viessem visitar 

                                                mama vestia-se daquele olhar,

lembro-me daquela boneca que me deu o papá 

da cabeça de plástico, do corpo de pano 

do dia que a perdi 

do dia em que a encontrei 

dos anos sem ela 

 

nos meus dias de miúda 

                                              Não deixei meus brinquedos espalhados pelo chão

                                             não quando tínhamos cão 

lembro-me dos passeios aos fins-de-semana 

do gelado na camisa do papá 

do vestido às riscas em que me pôs a mama

eu sei ainda daquela feira 

da roda gigante que lá havia 

era mesmo popular 

nos fez até cantar

assim foi minha infância

                                               deixei minha lancheira no pátio da 204

                                               minha lancheira lilás, nem acredito

 

pus-me na sala de cirurgia por querer tudo limpo

minha mãe foi sempre um mimo

deitei-me no colo do papá sempre com os dedos na boca

aquele colo era bom demais 

da minha infância aquilo foi paz

desenhei meus programas 

cozinhei em panelas pequenas e plásticas 

tive festas, fui em festas

voei, conheci lugares, fiz coisas

bebi quissangua, comi cachupa 

dormi fora de casa

 

minha infância foi boa 

                             foi minha