Será assim tão errado amar?!

Segundo muitos eu devia te odiar, e você sabe disso.  

Talvez devesse fazer uma lista e colocá-la na parte mais visível dos lugares em que vou quando procuro reviver os velhos tempos.  Talvez não sofresse mais; saberia que esse tão chamado "amor" não pode fazer viver sobre a lama dizendo serem flores. Mas enfim...

                    Sei que segundo terceiros, eu devia trocar de amigos, bairro, hábitos e até o mais quase-impossível, os pensamentos. Segundo estes eu me exponho à nada. Mas não sei; quando você liga pra mim, a raiva que sinto por não o teres feito a vida toda, desaparece. Aquele desejo descontrolado de te magoar se converte em um louco desejo de te beijar. Quando prometes cumprir com tuas promessas, eu creio. Quando te ris das nossas poucas loucuras me rio também, e quando choras de arrependimento e quase encharcas o telefone , ou o outro meio de comunicação por nós usado, meu coração se aperta e aí recomeça a saga.

                    Parece que me apaixono de novo, volto a ser a princesa perdida no mundo encantado esperando por seu príncipe, e meus desejos passam a ser nada, senão corações vermelhos.

                    Eu não sei. Mas será assim tão errado amar?!