Sufoco

me ponho em bocejos

me coço os cabelos 

me viro pelos lados

e nada senão retratos;

nem o truque dos olhos fechados

me atirando em sonhos

funciona como dantes;

me cubro 

e morro de calor 

desfaço

e tem frio ao redor;

nem o hábito de tapar os pés

e nem se usar pano ao invés

nada senão mesmo nada;

se os travesseiros falassem

a minha sentença seria perpétua

pelo que os faço no período da lua

e melhor ainda que não reagem;

nem abraçando o ursinho

nem encabeçando o travesseiro

é calor e não tem jeito;

uma sensação horrível

sem cura possível

não sei explicar

nem como então curar;

nem me enchendo de letras

nem me desfazendo delas

só desapontamentos;

só retratos 

passados

tormentos

calor e momentos.