Não seja ridícula ... divirta-te!

          Estou cansado de ser aquele namorado antigo, cansado de viver passados séculos. Eu até gosto de ir ao cinema, de andar pela praia, de segurar sua mão, mesmo quando sujas de carvão. Eu gosto de jantares à dois, desse amor em nós. Mas por favor, não sejamos tão ridículos, as vezes me apetece também uma discoteca a maneira, uma sexta com os amigos, um sábado com a família e um domingo em companhia da minha pessoa.

          Estou cansado de ser aquele amigo perfeito. Gosto de ouvir teus lamentos  de consolar teus choros, eu gosto sim! é gratificante. Eu gosto, daquelas risadas no fim da tarde, das festas de quintal, gosto de doar meus conselhos, mas enfim... tanto assim chega a ser demaisss. E se não chorasses, e se não passasses a vida em lamentações e se não fosse eu o único ouvinte das tuas canções e trocasses estações, mas, e se te divertisses ?!

A vida é um segmento de recta, e quantos pontos marcamos nela,depende de nós e só nós.

O tempo que a vamos viver não é propriamente exacto, mas podemos sempre aproveitá-lo; ainda que 20% forem lamentações , 50% romantismo, 10% perfeição, 10% desorientação os outros 10 doze de loucuras. A vida pode ter em tudo uma porção de diversão. 

          Portanto não sejas ridícula ... divirta-te.