Não me peça razões

não me peça razões

tais não possuo

não entenda minhas emoções

te será esforço frustrado;

por beijar teu rosto

quando o meu é esbofeteado 

por sorrir mergulhada em choro

por ainda viver

mesmo neste sofrer 

pelo meu real

não me peça razões;

se pareço anormal

por tal, o porquê então,

se dirigida a mim

será pergunta em vão;

não me tentes entender

nem tão pouco te dês ao desaparecer

me ame apenas.