Consumindo-me de amar

Hoje consumindo-me de amar

achando graça pra meu sorriso

na dor que se fez mar

no amor em pó;

vivendo lembranças de ti

onde o arranhão concedido

é hoje o vibrar do meu peito

e nada mais me deixa assim;

não deixarei cicatrizar

eternamente me vou sangrar

para que de ti me venha lembrar

ao gritar de dor;

Hoje consumindo-me de amar

não por tal momento passar

nem por me circuncidar

mas por eternizar.