O poder do beijo

O beijo é uma forma de se deixar embriagar, se entregar na mais clara cegueira sem perder a visão, o beijo é o único instrumento musical capaz de tocar uma só melodia em distintos ritmos, tons e línguas. O beijo é um segredo que se diz na boca e não no ouvido.

Beijar é transmitir numa só acção, todo um conjunto de emoções. É partilhar energia, ganhar alegria, acrescentar história, viver a magia. Beijar é a passagem para a mais longa viagem que se pode ter.

O beijo é o único capaz de enlouquecer até o mais louco dos cientistas,  acalma quem se agita, levanta o astral, rejuvenesce, nos leva ao mais distante dos sonhos, nos deixa suados, inunda o corpo nos levando ao delírio.

Beijar provoca paralisia, apaga a consciência, impede o mais claro pensar. Beijar mata, deixando num corpo morto a alma acordada por um beijo.

O beijo nos leva a um descontrole geral, onde perde-se a noção do tempo e espaço, e vive-se num devaneio total.

O beijo é a porta para o mais dos completos prazeres, e as vezes pode ser a janela para as dores. O beijo na verdade é bom, e o melhor é que pode ser dado em qualquer lugar, o beijo quando dado com amor perde toda uma e qualquer possível explicação.

Beijar é uma das mais antigas ciências e para ela não há qualquer considerável teoria, pois no final das contas

beijar é beijar.