e se fez fim...

Hoje foi realmente difícil, consegui sentir o quanto sou inútil, aprendi a viver sem coração. Agora sei o que representam as lágrimas, e quão amigas são elas pra mim. Não quero ser a mesma dramática a vida toda, não quero vos aborrecer com meu problemas, eu juro que não quero, mas enquanto for esta a única vida que possuir, me vou afastar, me vou encolher na menor caixa que houver e me lançar ao além, para que mesmo lá seja invisível. Enquanto em lágrimas se banharem meus momentos, enquanto me forem os sorrisos escassos, em negror me vou esconder , talvez sofra menos. Não mais irei escrever , já que cada vez que pressiono meu lápis à folha é como se fosse um tiro no centro de ti. Não quero sofrer mais com a tua dor, pois a minha já me basta e se rir dos meus feitos te põe feliz, e se pisar-me a cabeça te faz viver a felicidade , que seja! Não mais sonharei também, não farei planos, me entregarei aos ventos, dar-lhe-ei o direito de acabar comigo, pois prefiro morrer, se viver pelos outros seja opção. Não quero fingir sorrisos, não quero esconder choros, não quero me dar a perfeição quando não a conheço, se for para escrever em meu livro um capítulo como o de hoje, certamente prefiro o fim dele antes disso. Não viverei sobre o lixo, nem fingirei viver num imaginário paraíso.

Hoje uns atiraram pedras em mim, enquanto poucos se empenharam em lançar rosas perfumadas, pena que que as pedras foram fortes...

Hoje foi assim, conseguiste me desfazer os sonhos, conseguiste me fazer em pedaços.E conseguiste me dirigir ao poema mais verdadeiro vindo de mim. Pena que ele também se fez fim!

Obs: Desculpem-me queridos leitore(a)s se hoje meu poema não é alegre...Mas a vida também não me é agora!