No fundo sinto saudades

No fundo sinto saudades

das poucas pontes

do lixo aos montes

da dor dos pobres

sinto falta,

da minha Angola

manhãzinha agitada

rua totalmente alagada

depois da nocturna chuvada,

no fundo sinto falta

das crianças descalças

brincando nas águas sujas

por lhes faltar escolas,

dos bagageiros bêbados

logo na manhã de domingo,

sinto mesmo falta

daquela agitação

que alegrava o meu coração

e eu não sabia,

falta do Semba minha canção

causadora de toda euforia

sinto falta,

parece que todo aquele tempo

que andei reclamando

foi perca de tempo

pois hoje dava tudo pra voltar:

voltar a respirar aquele ar empoeirado

voltar a pisar aquele chão inundado

apanhar aquele táxi desarrumado e embarulhado

realmente sinto saudade desta Angola,

meu canto.

Poema nº1567

escrito em 28.04.12