Revolta incontrolável


Eu até podia confiar mais em mim, podia acreditar que sou capaz, podia até, sei lá! podia fazer as minhas coisas e me dar a conhecer. Mas infelizmente não tenho espaço nesta sociedade que é mais pobre que eu que não carrego comigo a CONFIANÇA, a ESPERANÇA, a FORÇA, enfim que não tenho qualidades de um vencedor, porque afinal já me sinto derrotada.
Eu tenho um sonho, que por mais pobre que seja, é mesmo meu.Mas para realizá-lo tenho que ser filha do Santo, do Soma ou de outros que mandam aqui, e se assim não for tenho que me submeter a entregas ofensivas para o conseguir, mas infeliz ou felizmente eu não me encontro dispostas e exposições do género.
Não sei se um dia vou conseguir, mas também já não importa.
Epá! meu coração está rasgado, ele sangra numa velocidade tal, que se não me conter ainda morro, minha tristeza transborda que só ela.
A revolta incontrolável pela falta de resultados positivos na minha vida me deixa sem chão. Mas que se lixe essa merda, porque eu já não sei mais se importa.