Morro Bento II

 Foto retirada do google

Foto retirada do google

me conheceu quando andava de cuecas

                          quando em casa ainda eram velas 

                                                                                 candeeiro com torcidas 

miúda que mal os pés sabia cruzar

                                                                   naquela areia vermelha mesmo aprendeu a andar 

árvores não se podiam contar 

nos davam sombras que eram de sobrar 

Morro Bento já foi bom

                         já teve outro tom 

naquele tempo de três casas só 

                                                        o pó que de dia me banhou 

                                                        o bom vento que de noite me tapou 

lá eu comi meu primeiro mufete 

aquele bairro já teve boa gente

                                                gente que evitava confusão 

                                                gente que trabalhava no salão 

me faz falta aquele lugar 

mas o que me foi naquele tempo 

do quintal que fazia doer a coluna de tão largo que era

                                                                                                          não havia lá prédio 

                                                                                                          não tinha nada

à mandioca que andava lá plantada 

as folhas de quizaca 

Morro Bento bonito era 

lembro-me da avó Maria, velha que fervia

aquilo brilhava por causa dela 

faço as lágrimas correrem só de pensar naquela velha 

                                                                                                       abraçada a vassoura de palitos 

                                                                                                      massageando o chão deixando riscos

gostava mesmo daquilo 

                                                 do bairro daquele tempo 

lembro-me dos miúdos que pulavam os muros da clínica 

de dentro pra fora com os sacos cheios de manga

maravilha era ter três árvores daquelas 

cajueiro, mamoeiro, figueira, goiabeira

minha casa já foi bela 

sem água mas tinha relva

Morro Bento já deu gosto 

hoje já partiram aquele repuxo e pousaram lá uma casa amarela 

dizem precisar como porta-moeda

mas naquele tempo cada um tinha sua lata 

asfaltaram aquela rua, agora é uma praça 

já não tem poeira mas fechou a padaria 

a rua da minha igreja está estreita

morreu avó Maria 

já são mil casas 

Morro Bento agora é frio 

discotecas por todo lado 

já não se toma bem o caldo 

meu bairro hoje é só um bocado 

                                                               já não há árvores ao lado 

em frente a casa já tem chão duro 

                                já ninguém come pão burro 

                                                                                      está apertado 

                                                                                       e a antiga barraca já não está ao lado 

meu Morro Bento está acabado 

agora é só um