Mbundu

               Sabe aquelas orações que fazemos no princípio do ano? Os grandes sonhos e planos que nos dá-mos a vociferar. Sabe a força com que nos levantamos da cama no dia primeiro de Janeiro? A alegria que decidimos espalhar por ser novo ano. Sabe a certeza que é naquele instante só nossa? Pois, tudo isso e algo mais esteve comigo também até algumas alvoradas atrás. As vezes não é apenas a minha preguiça e/ou o desarranjo das minhas forças, as vezes o mundo mesmo parece estar virado contra mim. Ainda é princípio de Fevereiro e já perco lentamente as forças, não quero arriscar dizer o mesmo da esperança, mas não sei. Hoje confesso minha decepção. Ando decepcionada com mais ninguém senão eu mesma, tenho feito as coisas muito erradamente e receio não ter mais tempo pra restituir meus actos. O pior é que a vida é muito longa. 

  Digo já que não quero conselhos, nem lamentos, pois tenho sobra dos dois. Confesso pra ouvidos ingénuos, e bocas surdas, confesso pra me poder ouvir, confesso pra não ter que ir, confesso só assim. 

 

------------------------------------------------

*Mbundu: Lamento, Pranto, Choro ( Segundo "Inzo Nkogombila" dicionário online.)

Cláudia CassomaComentário